papinha-bebe
O 2 maio 2017

Papinha, o que precisa e como fazer?

Após os 6 meses de vida, o leite materno não é suficiente para suprir todas as necessidades do bebê, ainda assim, ele é necessário, mas agora deve ser alternado com a introdução de alimentos.
Chegou a hora de seu filho descobrir os alimentos! É a hora da papa “doce” – frutas e da papa “salgada” – alimentos em geral. Vale lembrar que alguns alimentos são contra indicados no primeiro ano de vida, como mel, açúcar, embutidos, alimentos com alto teor de agrotóxico (como morango, tomate), clara de ovo…
Mas nada de pânico, preparar a alimentação é muito mais simples do que imaginava, basta seguir alguns passos básicos para o preparo das papinhas. Hoje falaremos das papas doces:
* A papa doce (frutas) deve ser oferecida pela manhã, entre a primeira e segunda mamada e, após alguns dias, ofereça também no lanche da tarde. Uma ressalva apenas para as frutas cítricas, como laranja, limão mexerica, tangerina e similares. Esse grupo tende a ser bastante alergênico, então procure evitar no primeiro ano.
Você pode cozinhar as frutas sem água e, principalmente, sem açúcar, deixe o filhote desenvolver o paladar para o sabor natural dos alimentos! Retire a casca da fruta e amasse-a bem, não precisa passar no liquidificador, basta atentar-se para que a papa não tenha pedaços de frutas.
Vale lembrar: ofereça uma fruta por vez, sempre atenta à reação do bebê após comer o alimento, assim você já vai descobrindo se o bebê apresenta alguma alergia ou reação diferente a alguma fruta.
O ideal é introduzir um tipo de fruta, aguardar de um a dois dias para então oferecer um novo alimento! Repita o alimento testado após 4 dias, assim fica fácil de detectar qualquer reação ou alergia!
Boas frutas para papas: abacate, ameixa, amora, banana, cajá, caju, kiwi, maçã, mamão, manga, caqui, carambola, cereja, figo, goiaba, jabuticaba, morango, nectarina, pêra, pêssego, uva, abacaxi (com a casca você pode fazer chá), melão e melancia (as sementes podem ser adicionadas depois de batidas e coadas, são ricas em nutrientes, principalmente cálcio).
Dica: orgânico é sempre melhor, mas quando não é possível, opte pelas frutas mais baratas, geralmente são “da safra”, portanto a quantidade de agrotóxico adicionada para o crescimento foi menor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *