empreendedorismo-feminino
O 27 abril 2016

Caminhos do empreendedorismo feminino

No mês em que comemoramos o dia internacional da mulher, escolhi falar sobre os motivos para celebrar as conquistas femininas na seara empreendedora. Já passou o tempo retrogrado onde se defendia a premissa de que “lugar de mulher é na cozinha”, atualmente a mulher vem ocupando cada vez mais espaços no mercado de trabalho e muitas encararam o desafio de empreender. Os números do IBGE (2015) mostram que já somos mais de 6 milhões de empreendedoras, o que representa 8% da população feminina do Brasil, além disso o número de empresas comandadas por mulheres cresceu para 43% em 2015. Os números são expressivos, no entanto quando falamos no mercado de tecnologia e startups a realidade é bem diferente. Reflexo do domínio masculino na área de exatas, as empresas de base tecnológica são em sua maioria fundadas por homens. Dos mais de 580 mil profissionais de TI que atuam no Brasil, apenas 20% são mulheres, conforme dados Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Este padrão se repete no mundo das startups, onde em geral 90% são fundadas e lideradas por um homem. Segundo dados da Babson College, só 15% das startups que recebem investimento contam com mulheres no time de liderança e empresas com CEOs do sexo feminino recebem apenas 3% dos aportes no país. Diante desta realidade algumas iniciativas surgem para fomentar o empreendedorismo feminino e a prticipação da mulher no mercado de startups e da tecnologia.
Iniciativas de fomento
40Forward – Programa do Google for Entrepreneurs, que oferece apoio e investimentos de US$ 1 milhão a 40 organizações parceiras que estejam aumentando a representatividade das mulheres empreendedoras em suas comunidades de startups.
Startup Weekend Women – Imersão empreendedora de 54 horas, o Startup Weekend Women foi criado para fomentar a participação feminina nos eventos. O evento propõe que 75% das participantes, mentoras e organizadoras sejam mulheres. No Brasil foram realizadas 07 edições, sendo 5 simultâneas em outubro/2015 tornando-se o maior evento já realizado. Em 2016, serão dez eventos em todo o Brasil, Natal receberá uma edição em outubro.
Onde encontrar:
Technovation – Comandado no Brasil pela Camila Achutti, o Technovation é um programa global de empreendedorismo e tecnologia para meninas. Onde são criados times de meninas de 10 a 18 anos, para desenvolver um aplicativo de celular que solucione um problema social. Em 2015, o Technovation impactou mais de 2.000 meninas em 21 estados do Brasil. Onde encontrar: http://www.technovationchallenge.org/brasil
Rede Mulher empreendedora – Fundada em 2010, a Rede Mulher conta com mais de 36.500 mil empreendedores, atua fornecendo conteúdos, dicas e notícias sobre empreendedorismo, além de cursos e mentorias.

Onde encontrar: http://redemulherempreendedora.com.br
Code Girl – Em Natal, temos um grupo de apoio a mulheres na área de TI, fundado por Suzy Oliveira e Claudia , o Code Girl surgiu como uma ação para dialogar sobre as razões pelas quais a participação feminina em TI no Brasil é tão pequena. Fora criado um evento com palestras motivacionais, onde mulheres que trabalham e empreendem na área falam sobre desafios e superações.

Onde encontrar: www.codegirl.com.br
As donas do negócio Segundo a pesquisa Dow Jones VentureSource, empresas com presença feminina tendem a apresentarem melhores resultados, das 20 mil empresas entrevistadas 1,3% têm mulheres como fundadoras, 6,5% como CEOs e 20% como executivas. Em startups com cinco ou mais mulheres, 61% são bem sucedidas, enquanto que 39% não deram certo.
No Brasil temos cases de sucesso de empreendedoras a frente de startups em todo o país e para incentivar cada vez mais a participação das mulheres nessa área apresento a vocês alguns exemplos de negócios que deram certo.
Emotion.Me – A Startup fundada pela Bruna Bittencourt, é o primeiro one-stop-shop de casamentos do país. O negócio que fora criado após a Bruna virar noiva e idnetificar um nicho de mercado, já atendeu mais de 35 mil casamentos desde 2012. Atualmente o Emotion.Me está na fase de escala e em busca de parcerias estratégicas.
Payleven – A plataforma de pagamento móveis fundada pela Adriana Barbosa, desenvolveu soluções de pagamento para microeempreendedores. A payleven é financiada por grandes empresas européias e americanas e está presente na Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, França, Holanda, Itália, Polônia, Reino Unido e Brasil.
Timo Kids – O aplicativo para celulares e tablets com histórias e jogos socioeducativos é comandado pela Fabiany Lima. A startup está presente em mais de 190 países e conta com mais de 80 mil downloads. Em 2015, a empresa abriu para microinvestimentos através da plataforma Broota Startup, arrecadando mais de R$ 200 mil reais.
Trustvox – A Plataforma focada no mercado de e-commerce, aposta no poder da opinão do consumidor e certificando reviews. Comandada pela Tatiana Pezoa, a empresa já conta com mais de 450 clientes, entre os quais se destacam o Boticário e o Polishop.
Contentools – A Contentools é uma plataforma pioneira de gestão e automação de marketing de conteúdo. Emilia Chagas é a empreendedora a frente dessa startup, com crescimento acelerado a empresa conquistou clientes como Zendesk e Descomplica e já alcançou 2 milhões de faturamento.
Klipbox – Para não deixar de falar de cases locais, o Klipbox é uma plataforma de monitoramento de notícias com clientes em todo o país. Fundada em 2012 pela pessoa que vos escreve e meu sócio Dante Henrique, alcançamos alguns resultados importantes, como aceleração pela Gema Ventures e aprovação no programa federal Startup Brasil. Atualmente, temos em nossa lista de clientes órgãos como CDL , Correios, Senac, Sesi e Fecomércio. Temos inúmeros outros cases de sucesso por esse país, exemplo clássico como a Luíza Trajano do Magazine Luíza, o fato é que o caminho ainda é longo para atingirmos a igualdade de gênero no ambiente de negócios, no entanto é um conforto saber que existe espaço e iniciativas que buscam diariamente empoderar novas empreendedoras para ampliarmos ainda mais os números de sucesso.

Link da matéria: http://www.informaticaemrevista.com.br/post/85

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *